título

Translate this Page
Enquete
Você gostou do site?
Sim
Não
Ver Resultados

Rating: 2.7/5 (955 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



Deus é bom, perfeito e justo - é um conceito comum para todos aqueles que creem na existência no ser do criador supremo.

“Então, por que o mundo dos homens tem tanta ruindade, é imperfeito e injusto?” A esta pergunta, provavelmente, os sábios religiosos diriam que Deus é bom, mas nos deu o livre arbítrio e por esta razão somos imperfeitos.

Onde está a justiça de Deus? Por que uma pessoa boa pode morrer tão cedo e outra pessoa, tão ruim, vive por muito tempo? Por que uma inocente criança nasce com deficiência física ou mental, enquanto outras têm saúde perfeita ou uma inteligência maior? Como se explica o motivo de uma criança nascer numa família pobre, sem educação, e outras, numa família rica e bem estruturada em todos os sentidos? Como explicar a diferença desde a nascença entre duas crianças? Um filho precisaria fugir de casa porque tem uma mãe prostituta e um pai violento para viver na rua pedindo esmola ou roubando? E qual a diferença com outras crianças que podem receber carinho e educação adequada de pais cuja mãe é professora universitária e o pai é médico.

Nós observamos inúmeros casos semelhantes a estes na realidade da sociedade brasileira. Como os destinos dos homens podem ser tão diferentes um dos outros, se pela justiça de Deus todos deveríamos ser iguais?

Todos os seres humanos, sem exceção, têm pais biológicos. Acredito que a reprodução humana existe como uma forma de compreender e reconhecer a intenção e o sentimento de Deus, cujo amor a todos os seus filhos é ilimitado. Na Escritura Divina, Ofudessaki, temos:

Tal como os humanos pensam nos filhos, preocupo-me também com o caminho temeroso e perigoso. Ofu. VII-9

Os pais, na criação dos filhos, com certeza, têm o máximo cuidado. A primeira e ideal alimentação para bebê é o leite materno. É uma alimentação perfeita, nutritiva e imunologicamente, além de ter o melhor sabor para o paladar do bebê. Um pedaço de picanha bovina pode ser uma comida muito saborosa para um adulto, mas é péssimo para o bebê. Também, a roupa de um bebê não serve para um adulto e o inverso não tem qualquer utilidade ao bebê. Assim, a alimentação ou a vestimenta justa para um bebê tem qualidades e tamanhos diferentes da de um adulto. Em todos os sentidos, a realidade ideal e justa para um bebê é diferente da realidade ideal e justa de um adulto.

A “justiça” de Deus é sempre diferente de pessoa para pessoa - não é igual. Por este motivo, todos os seres humanos têm crescimento espiritual diferente um do outro. As realidades que Deus apresenta para cada um de nós são diferentes, variam conforme a qualidade e o tamanho espiritual de cada um.

Na Escritura Divina ainda consta:

Mesmo entre pais e filhos, marido e mulher ou entre irmãos, os espíritos são diferentes um do outro.  Ofu. V-8

Hoje, a expectativa média de vida de uma pessoa está se aproximando dos 80 anos de idade. Se medirmos as realidades deste mundo com a régua de uma pessoa que viveu 80 ou 100 anos, poderemos encontrar muitas ruindades, imperfeições e injustiças neste mundo. E ao medir as realidades deste mundo com a pequena régua dos homens, realmente, não encontramos  respostas aos questionamentos dos parágrafos iniciais e fica difícil também compreender a grandeza do amor, da perfeição e da justiça de Deus. Talvez nunca as entendamos.

Entretanto, ao percebermos a grandeza e o trabalho divino, as coisas que antes não compreendíamos, começam a ter sentidos mais nítidos... Na verdade, aquela ruindade era só uma parcela de uma bondade maior. Ou seja, aquelas imperfeições ou injustiças são parcelas que fazem parte do estado de perfeição. Todos nós sempre recebemos de Deus a realidade perfeitamente justa e cheia de amor divino.

Deus-Parens, o criador, tomou o corpo da Nossa-Mãe, Oyassama, e, durante 50 anos, detalhadamente, revelou os ensinamentos à humanidade de como superar suas más causalidades (carmas) e atingir à vida plena de alegria e felicidade.


As oitos poeiras espirituais
As oitos poeiras espirituais

AS OITO POEIRAS ESPIRITUAIS

 

                MESQUINEZ - auto compaixão, indolência, avareza. Relutar pelo pagamento do que deve ser pago, ter pena de devolver a coisa tomada emprestada, tais atitudes provem do espírito que carece de gratidão pelas dádivas de Deus. Procurar conseguir resultados positivos, fugindo do esforço e sacrifício, passando o serviço pesado e difícil aos outros, procurando o serviço fácil e prazeroso para si, e ainda evitar a dedicação pelo bem-estar do próximo, tudo isso é mesquinhez.

            Devemos sentir alegria e gratidão em poder trabalhar com saúde graças as providencias divinas é a atitude mais importante ao homem.

 

            COBIÇA - cobiça material, cobiça sexual. A cobiça é a vontade ilimitada de possuir mais bens materiais, mais dinheiro, mais sexo. E ter apenas a satisfação momentânea. É algo como uma planta sem raiz ou um buquê de flores, que por instante floresce bela, mas passado o momento, perde a cor, murcha e seca. O que resta são apenas as insatisfações, as queixas.

            O importante é sentir gratidão por ter tomado emprestado o corpo e ter recebido todo o necessário para a sobrevivência, pela graça divina.

 

            ÓDIO - execração. (detestar, abominar, amaldiçoar). Julgar mal e ter aversão por aqueles que aconselham para o seu bem, pensando que está sendo mal falado. Censurar e ridicularizar os outros. Ter aversão porque o outro cometeu um engano ou um ato inoportuno, detestar a pessoa unicamente por seu capricho e crueldade. Quando o outro faz uma ação benéfica, deixa isso em segredo, não o comentando nem por engano, mas, quando comete um pequeno engano, divulga-o exageradamente e dá más referências.

            Todos os seres humanos são mutuamente irmãos. É importante então que se tenham a confiança e a compreensão mútua.

 

            AMOR-PRÓPRIO - predileção (afeição extremosa). É pensar somente no seu bem-estar, sem se importar com a sorte dos outros, é deixar por excessivo amor, que os filhos se queixem das comidas e das vestes, mintam, faltem às aulas por causa da chuva ou do frio, brinquem à vontade na idade em que se deve ensina-lhes a trabalhar. É o sentimento que discrimina as pessoas, protegendo e favorecendo somente aqueles que são do seu agrado.

            É importante reformar este pensamento egocêntrico e dedicar a todos com compreensão e bondade, pois todos nós somos filhos indistintos de Deus, e igualmente irmãos.

 

            RANCOR - ressentimento. É o sentimento de aversão profunda que a pessoa fomenta por ter sido humilhado, impedido de realizar a sua vontade, dizendo que foi prejudicado ou que foi ferido na dignidade. Julgar-se subestimado por alguém, sem considerar a própria falta de conhecimento, capacidade e virtude. Ter aversão por alguém porque não lhe é amável; ter aversão por aleguem por interpretar a gentileza alheia como injúria; ter aversão por alguém, dizendo que este cometeu erro propositadamente. É todo o sentimento rancoroso, de fazer más considerações dos outros, sem tentar compreender a razão dos acontecimentos e nem levar em conta a deficiência do seu conhecimento e capacidade.

            Todos os sofrimentos originam-se do próprio espírito de cada individuo por isso nada justifica odiar os outros. É necessário refletir sempre e reconhecer a própria falta de mérito.

 

            RAIVA - cólera, impaciência. É ter a visão estreita e voltada a si próprio, cuja tolerância não permite compreender a situação do outro. A impaciência faz empobrecer o próprio mérito causando prejuízos a própria vida. Ocorre porque deseja ter tudo a sua vontade e capricho, preza demasiada comodidade e não purifica o espírito. Ficamos com raiva porque alguém disse algo mau, agiu desta ou daquela maneira e ignoramos a razão alheia insistindo na nossa.

            É necessário compreender não somente a situação própria, mas principalmente a situação do outro com ampla tolerância e muita bondade.

 

            AMBIÇÃO - ganância, avareza. É tomar as coisas alheias para si, mesmo faltando à moral, enganando e prejudicando os outros buscando o lucro próprio, mesmo a custa de sacrifícios alheios. Perder-se por mulher ou alucinar-se por homem, todos são poeira da ambição.

            Somos todos vivificados pelas providencias divina. É importante conscientizarmos disso e imbuídos da gratidão no espírito, confiantes auxiliarmos mutuamente como verdadeiros irmãos.

 

                ORGULHO - arrogância. É elevar-se a si mesmo, julgando-se importante e poderoso, rebaixando os outros, fazendo-se de sábio mesmo diante da duvida, e impondo autoridade sem razão. É o espírito de impor-se ignorando e menosprezando os outros. E é a mente que esquece dos próprios defeitos, e critica severamente os outros.

            Antes de criticar os outros é necessário ter o espírito verdadeiramente humilde para refletir sinceramente sobre si mesmo.

2017 O ANO DA

NOVA PARTIDA 

 

 

 

 

 

 

Aula de Língua Japonesa

Todos os domingos 

14h ~16h

Contato: 98841-8298

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- A tenrikyo visa o mundo de vida plena de alegria e felicidade, através da salvação mútua.

- Sem a salvação mútua não existirá felicidade.