título

Translate this Page
Enquete
Você gostou do site?
Sim
Não
Ver Resultados

Rating: 2.7/5 (955 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



Deus é bom, perfeito e justo - é um conceito comum para todos aqueles que creem na existência no ser do criador supremo.

“Então, por que o mundo dos homens tem tanta ruindade, é imperfeito e injusto?” A esta pergunta, provavelmente, os sábios religiosos diriam que Deus é bom, mas nos deu o livre arbítrio e por esta razão somos imperfeitos.

Onde está a justiça de Deus? Por que uma pessoa boa pode morrer tão cedo e outra pessoa, tão ruim, vive por muito tempo? Por que uma inocente criança nasce com deficiência física ou mental, enquanto outras têm saúde perfeita ou uma inteligência maior? Como se explica o motivo de uma criança nascer numa família pobre, sem educação, e outras, numa família rica e bem estruturada em todos os sentidos? Como explicar a diferença desde a nascença entre duas crianças? Um filho precisaria fugir de casa porque tem uma mãe prostituta e um pai violento para viver na rua pedindo esmola ou roubando? E qual a diferença com outras crianças que podem receber carinho e educação adequada de pais cuja mãe é professora universitária e o pai é médico.

Nós observamos inúmeros casos semelhantes a estes na realidade da sociedade brasileira. Como os destinos dos homens podem ser tão diferentes um dos outros, se pela justiça de Deus todos deveríamos ser iguais?

Todos os seres humanos, sem exceção, têm pais biológicos. Acredito que a reprodução humana existe como uma forma de compreender e reconhecer a intenção e o sentimento de Deus, cujo amor a todos os seus filhos é ilimitado. Na Escritura Divina, Ofudessaki, temos:

Tal como os humanos pensam nos filhos, preocupo-me também com o caminho temeroso e perigoso. Ofu. VII-9

Os pais, na criação dos filhos, com certeza, têm o máximo cuidado. A primeira e ideal alimentação para bebê é o leite materno. É uma alimentação perfeita, nutritiva e imunologicamente, além de ter o melhor sabor para o paladar do bebê. Um pedaço de picanha bovina pode ser uma comida muito saborosa para um adulto, mas é péssimo para o bebê. Também, a roupa de um bebê não serve para um adulto e o inverso não tem qualquer utilidade ao bebê. Assim, a alimentação ou a vestimenta justa para um bebê tem qualidades e tamanhos diferentes da de um adulto. Em todos os sentidos, a realidade ideal e justa para um bebê é diferente da realidade ideal e justa de um adulto.

A “justiça” de Deus é sempre diferente de pessoa para pessoa - não é igual. Por este motivo, todos os seres humanos têm crescimento espiritual diferente um do outro. As realidades que Deus apresenta para cada um de nós são diferentes, variam conforme a qualidade e o tamanho espiritual de cada um.

Na Escritura Divina ainda consta:

Mesmo entre pais e filhos, marido e mulher ou entre irmãos, os espíritos são diferentes um do outro.  Ofu. V-8

Hoje, a expectativa média de vida de uma pessoa está se aproximando dos 80 anos de idade. Se medirmos as realidades deste mundo com a régua de uma pessoa que viveu 80 ou 100 anos, poderemos encontrar muitas ruindades, imperfeições e injustiças neste mundo. E ao medir as realidades deste mundo com a pequena régua dos homens, realmente, não encontramos  respostas aos questionamentos dos parágrafos iniciais e fica difícil também compreender a grandeza do amor, da perfeição e da justiça de Deus. Talvez nunca as entendamos.

Entretanto, ao percebermos a grandeza e o trabalho divino, as coisas que antes não compreendíamos, começam a ter sentidos mais nítidos... Na verdade, aquela ruindade era só uma parcela de uma bondade maior. Ou seja, aquelas imperfeições ou injustiças são parcelas que fazem parte do estado de perfeição. Todos nós sempre recebemos de Deus a realidade perfeitamente justa e cheia de amor divino.

Deus-Parens, o criador, tomou o corpo da Nossa-Mãe, Oyassama, e, durante 50 anos, detalhadamente, revelou os ensinamentos à humanidade de como superar suas más causalidades (carmas) e atingir à vida plena de alegria e felicidade.


A força da mulher
A força da mulher

 A Força da Mulher, de Yojiro Watanabe

           

Todos os meses, no dia 22, na reunião mensal da Associação Feminina, é lido o texto "O Caminho da Mulher". São palavras ditas por Oyassama a Isaburo Masui e sua esposa. É tido como o guia da mulher, onde Oyassama explana sobre a importância da conduta da mulher, sobre como tudo pode se transformar dependendo de sua atitude e também detalha como deve ser o uso espiritual da mulher.                                      

Com certeza a força da mulher é algo muito grande. Por mais que se esforce, o homem não pode dar à luz um filho. Este é o ponto mais importante. Por melhor que seja o pai, se a mãe não for uma boa pessoa, os filhos também não serão bons. Ao contrário, por pior que seja o pai, se a mãe for uma pessoa extraordinária, os filhos serão bons com certeza. Esta é uma grande diferença. Aqui, com certeza, não vale a expressão "vice-versa". Se a mãe não se prender aos pontos negativos de seu marido, olhar só os pontos positivos e passar respeitando seu marido, sem insatisfação, tudo estará bem.

A realidade é que quem dá à luz o filho é a mulher. Na verdade, quem deve educar também é a mulher. Pode-se pensar que pelo menos educar é algo que pode ser feito pelo pai sem problemas, mas não consegue todo o benefício da educação dada pela mãe. A educação dos filhos sofre uma influência muito grande, para o bem ou para o mal, dependendo da conduta da mãe.

Hoje em dia, te aumentado a quantidade de partos cesarianos. Antes mesmo de chegarmos aos tempos atuais, nosso primeiro condutor dizia: "vai chegar o tempo em que a quantidade de partos cesarianos vai aumentar". Antigamente, não eram tão numerosos. Diz-se que depois da II Guerra, "a mulher e as meias ficaram mais fortes". É o reflexo disso.

Disse ainda: "Chegará o tempo em que não haverá mais o ambiente familiar entre pais e filhos, marido e mulher, e aumentará o número de famílias que serão como uma reunião de estranhos". Os tempos atuais são assim, não é verdade? Pais que matam os filhos, filhos que matam os pais, maridos que matam suas esposas ou vice-versa, e que são incomuns os assassinatos cometidos tendo o seguro como objetivo. Realmente, tornou-se um mundo perigoso, onde acontecem os mais absurdos fatos. Um dos motivos disso é o fato da mulher ter se tornado mais forte. E uma das razões para o fortalecimento da mulher é que ela começou a trabalhar, começou a colaborar com o orçamento familiar junto com o marido. Sobre isso, o primeiro condutor disse: "A mulher que te um marido não pode ganhar dinheiro". Esse "não pode" tem um significado bastante profundo. Se estiver trabalhando, não conseguirá educar os filhos satisfatoriamente.

Ainda, estão reduzindo o número de filhos para poder trabalhar. A principal razão da redução da natalidade é essa. O governo tem pensado em diversas formas para incentivar os casais a terem filhos, mas como ainda não entendeu isso, toma ações sem resultados. É como guardar as coisas depois que chega o ladrão. Os políticos, os cientistas e os educadores concordam que a redução da natalidade pode se tornar um grande problema, mas ninguém se deu conta que a raiz do problema está aí.

Pelo menos metade da população tem que seguir este Caminho e não há outro meio senão mudar o mundo com este ensinamento. Principalmente, mudar a orientação do espírito da mulher é muito importante. É fazer cumprir o ensinamento de que quem tem marido não pode trabalhar. É claro que existem pessoas que se esforçam e tem bons resultados, mas a educação dos filhos é algo muito complexo que não pode ser feito parcialmente, com a mãe trabalhando. A importância do relacionamento corpo-a-corpo tem se tornado um ponto comum entre todas as pessoas, mas se estiver trabalhando, a mãe não poderá ter esse relacionamento com os filhos. É algo que deve ser repensado desde a raiz, mas aqueles que já se deram conta disso são muito poucos.

2017 O ANO DA

NOVA PARTIDA 

 

 

 

 

 

 

Aula de Língua Japonesa

Todos os domingos 

14h ~16h

Contato: 98841-8298

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- A tenrikyo visa o mundo de vida plena de alegria e felicidade, através da salvação mútua.

- Sem a salvação mútua não existirá felicidade.