título

Translate this Page
Enquete
Você gostou do site?
Sim
Não
Ver Resultados

Rating: 2.7/5 (955 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...



Deus é bom, perfeito e justo - é um conceito comum para todos aqueles que creem na existência no ser do criador supremo.

“Então, por que o mundo dos homens tem tanta ruindade, é imperfeito e injusto?” A esta pergunta, provavelmente, os sábios religiosos diriam que Deus é bom, mas nos deu o livre arbítrio e por esta razão somos imperfeitos.

Onde está a justiça de Deus? Por que uma pessoa boa pode morrer tão cedo e outra pessoa, tão ruim, vive por muito tempo? Por que uma inocente criança nasce com deficiência física ou mental, enquanto outras têm saúde perfeita ou uma inteligência maior? Como se explica o motivo de uma criança nascer numa família pobre, sem educação, e outras, numa família rica e bem estruturada em todos os sentidos? Como explicar a diferença desde a nascença entre duas crianças? Um filho precisaria fugir de casa porque tem uma mãe prostituta e um pai violento para viver na rua pedindo esmola ou roubando? E qual a diferença com outras crianças que podem receber carinho e educação adequada de pais cuja mãe é professora universitária e o pai é médico.

Nós observamos inúmeros casos semelhantes a estes na realidade da sociedade brasileira. Como os destinos dos homens podem ser tão diferentes um dos outros, se pela justiça de Deus todos deveríamos ser iguais?

Todos os seres humanos, sem exceção, têm pais biológicos. Acredito que a reprodução humana existe como uma forma de compreender e reconhecer a intenção e o sentimento de Deus, cujo amor a todos os seus filhos é ilimitado. Na Escritura Divina, Ofudessaki, temos:

Tal como os humanos pensam nos filhos, preocupo-me também com o caminho temeroso e perigoso. Ofu. VII-9

Os pais, na criação dos filhos, com certeza, têm o máximo cuidado. A primeira e ideal alimentação para bebê é o leite materno. É uma alimentação perfeita, nutritiva e imunologicamente, além de ter o melhor sabor para o paladar do bebê. Um pedaço de picanha bovina pode ser uma comida muito saborosa para um adulto, mas é péssimo para o bebê. Também, a roupa de um bebê não serve para um adulto e o inverso não tem qualquer utilidade ao bebê. Assim, a alimentação ou a vestimenta justa para um bebê tem qualidades e tamanhos diferentes da de um adulto. Em todos os sentidos, a realidade ideal e justa para um bebê é diferente da realidade ideal e justa de um adulto.

A “justiça” de Deus é sempre diferente de pessoa para pessoa - não é igual. Por este motivo, todos os seres humanos têm crescimento espiritual diferente um do outro. As realidades que Deus apresenta para cada um de nós são diferentes, variam conforme a qualidade e o tamanho espiritual de cada um.

Na Escritura Divina ainda consta:

Mesmo entre pais e filhos, marido e mulher ou entre irmãos, os espíritos são diferentes um do outro.  Ofu. V-8

Hoje, a expectativa média de vida de uma pessoa está se aproximando dos 80 anos de idade. Se medirmos as realidades deste mundo com a régua de uma pessoa que viveu 80 ou 100 anos, poderemos encontrar muitas ruindades, imperfeições e injustiças neste mundo. E ao medir as realidades deste mundo com a pequena régua dos homens, realmente, não encontramos  respostas aos questionamentos dos parágrafos iniciais e fica difícil também compreender a grandeza do amor, da perfeição e da justiça de Deus. Talvez nunca as entendamos.

Entretanto, ao percebermos a grandeza e o trabalho divino, as coisas que antes não compreendíamos, começam a ter sentidos mais nítidos... Na verdade, aquela ruindade era só uma parcela de uma bondade maior. Ou seja, aquelas imperfeições ou injustiças são parcelas que fazem parte do estado de perfeição. Todos nós sempre recebemos de Deus a realidade perfeitamente justa e cheia de amor divino.

Deus-Parens, o criador, tomou o corpo da Nossa-Mãe, Oyassama, e, durante 50 anos, detalhadamente, revelou os ensinamentos à humanidade de como superar suas más causalidades (carmas) e atingir à vida plena de alegria e felicidade.


SEMEADURA E COLHEITA
SEMEADURA E COLHEITA

Ao longo dos 38 anos dedicados ao caminho da fé, Deus tem me orientado sempre a voltar à origem; a pensar, a pesquisar, a tirar provas, a estudar e a praticar para chegar, sem qualquer dúvida, à conclusão de que todas as respostas da vida devem estar de acordo com a razão da semeadura e colheita.

A semeadura é o uso do livre arbítrio (espírito); e a colheita é o resultado, positivo ou negativo, desse uso espiritual. A colheita flora infalivelmente em local, tempo e pessoa certa, desencadeando, assim, a predestinação. Isto é, a semente é o espirito da pessoa que capta informações através da visão, da audição e do seu envolvimento numa situação; e o mesmo interpreta as informações conforme a sua evolução. É um ciclo natural, onde somos sujeitos a semear. Assim todos os seres humanos vivem dentro desta estrutura absoluta e perfeita de Deus-Parens.

Nós seguidores do Caminho, temos a maravilhosa oportunidade de evoluir espiritualmente e devemos aproveitar o ensinamento ao máximo para alcançar este objeitvo. Acredito que, como modo de limpeza (evolução) espiritual, não há tantas alternativas dentro do Tenrikyo.

Em primeiro lugar, temos o modelo da vida de Oyassama; em segundo, os exemplos deixados por muitos mestres precursores do Caminho; e, em terceiro, os profundos estudos sobre a prática da Doutrina.

Este último é essencial para a nossa compreensão e convicção do ensinamento. Os principais estudos necessários são: reconhecer a predestinação individual e da família, aprender sobre o uso espiritual em relação às poeiras espirituais, e saber distinguir o que é a Razão e a cogitação humana. Ainda, há outros pontos que devem ser estudados, como por exemplo, acreditar na razão da semeadura e colheita que são a justiça de Deus-Parens; compreender como que a lei da natureza é precisa e justa; e ainda, aprender como usar o espírito sem se deixar levar pelos sentimentos de mimo, do amor-próprio, do egoísmo e do orgulho, que são enfatizados na Tenrikyo como poeiras espirituais.

Creio que todos nós, irmãos do Caminho, estamos buscando alcançar um só objetivo, que é o da vida plena de alegria e felicidade, isto é, a vida equilibradada por Deus-Parens, e Ele sempre nos concede uma oportunidade. Para aproveitar de fato essa oportunidade e corresponder a esse amor parental, cabe a responsabilidade de cobrar severamente a si mesmo, quanto ao comportamento espiritual no cotidiano, se policiar duramente no refletir e admitir e aceitar que tudo que parte de si volta para si, com acréscimos. É como um espelho. È um processo natural de todo ser humano.

Quando compreendermos esse ponto, conclui-se que não há diferença entre raças, religião ou cultura. O trabalho de Deus-Parens é igual para todos. O que faz a diferença é a predestinação do mérito de cada um. Portanto, o que fazer para colher ou merecer bons frutos na vida em geral? A única forma é cuidar com muito esforço e atenção do uso do próprio espírito. O ser humano é vivificado dentro da Razão de semeadura e colheita, e por isso não devemos latismar ou ignorar o que acontece à nossa volta, e ao mesmo tempo é o trabalho, a justiça de Deus-Parens. Que maravilhoso é o amor parental, não é mesmo?

Para transmitir a alegria e a gratidão aos próximos, independentemente de nossas conveniências, é essencial praticarmos à salvação mútua. A convicção adquirida através dos estudos da doutrina desencadeia esse desejo de realizar a própria limpeza espiritual e de participar da construção do mundo pleno de alegria que é o objetivo de Deus-Parens.

Além disso, devemos acreditar que, ao limpar as poeiras do espírito, virão as recompesas (colheita). Se não compreendermos esta Razão e não praticá-lá e ensiná-la às outras pessoas, tornar-se difícil assimilar que só salvando os próximos é que se transforma a predestinação negativa, acumulada em várias gerações passadas, para a positiva. Concomitantemente, a crença no ensinamento se torna apenas uma formalidade.

Deus-Parens ensinou que devemos semear praticando as seguintes dedicações: realizar a condução isto é, frequentar a igreja; praticar o hinokishim; realizar a oferenda; praticar a divulgação explaando sobre o ensinamento e, quando possível, ministrar o Sazuke. E, no decorrer do tempo, orientar essas pessoas sobre a importância de praticar o mesmo que nós.

Por fim, mencionei aqui um pouco sobre a missão de um seguidor do Caminho (tenrikiano), e que devemos ter a compreensão e a consciência da mesma, colocando-se sempre no lugar de Oyassama; sentir-se honrado por ter sido escolhido para a mais valorosa missão da face da Terra, e não pensar que é um sacrifício, pois, senão estaremos semeando a infelicidade e a ingratidão ao Parens. Assim, desejo que esta minha reflexão sobre o ensinamento sirva como um incentivo a todos os irmãos e seguidores do Caminho, obrigado.

2017 O ANO DA

NOVA PARTIDA 

 

 

 

 

 

 

Aula de Língua Japonesa

Todos os domingos 

14h ~16h

Contato: 98841-8298

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- A tenrikyo visa o mundo de vida plena de alegria e felicidade, através da salvação mútua.

- Sem a salvação mútua não existirá felicidade.